quarta-feira, 11 de julho de 2012

Resenha - A Jornada



Oi pessoal. Tudo bem?

A Rebecca está dominando o espaço, quem sabe criamos um blog só nosso (mais não fala pra ninguém). A jornada, eu li depois do livro Apátrida. O livro é razoavelmente suportável. Calma vocês saberão a opinião da criadora do blog Temos Muito Mais Pra Dizer.



A Jornada.



Título Original: Flutter
Autora: Erin E. Moulton
Editora: Novo Conceito
Páginas: 200

Sinopse: Muitas novidades virão na casa de Maple. Mamãe dará à luz uma menina, o que significa que Dawn será uma irmã triplamente mais velha. Maple se tornara uma irmã duplamente mais velha, e Beetle, apesar de mal conseguir falar, será também uma irmã mais velha. Entretanto, o bebê, Lily, nasce prematuro e seu coraçãozinho não bate normalmente. Maple decide que deve procurar um milagre para salvar sua irmã caçula.

Então, ela e Dawn, com a ajuda de um mapa, de sobras do jantar e de seus bonés pensantes, desceram o rio e subiram a montanha para achar a Mulher Sábia que mora em uma piscina com água milagrosa. Agora não é apenas com a sobrevivência de Lily que têm que se preocupar, mas também com a delas. E o perigo que Maple e Dawn se encontram nessa jornada fazem-nas descobrir algumas coisas dobre milagres e outras sobre cada uma das irmãs.

“Tudo o que sei é que alguma coisa está muito errada quando a natureza não age do jeito que se espera.”
“A Jornada”, conta a história de quatro irmãs que são muito unidas, apesar das brigas e provocações constantes , ou pelo menos duas delas, já que a quarta ainda não nasceu e a terceira é nova de mais para entender certas coisas. E é nessas duas que o desenrolar da história se foca.
Era um dia comum na casa da família Rittle até que a mãe das meninas entra em trabalho de parto, um parto prematuro. Após esse acontecimento trágico, muitas coisas irão mudar, mas não necessariamente para melhor.
“-Vai dar tudo certo- digo. Fico repetindo isso pra mim mesma, para as árvores, para Dawn e para a minha irmãzinha no hospital. –Vai dar tudo certo.”
Maple resolve que precisa fazer alguma coisa para ajudar sua pequena irmãzinha Lily e decide ir atrás da Mulher Sábia. Uma mulher, cuja história sua mãe contava, possuía poderes mágicos e vivia em um lugar onde havia uma água milagrosa, capaz de curar qualquer ferida.
Dawn fazendo o papel de irmã mais velha, apesar de ter apenas 11 anos decide que não deixará Maple sozinha nessa aventura, então ambas planejam a fuga, pegam algumas coisas que possam ajudá-las a se localizar. Uma bússola, um mapa, o livro com o conto da Mulher Sábia, um pouco de alimento e material para fazer fogo, e assim partem nessa incrível jornada em busca de um milagre.

O caminho é longo e não vai ser nada fácil. Logo no começo as meninas precisam enfrentar diversas coisas, incluindo o “Caldeirão do Diabo”, um lugar no rio onde as correnteza é muito forte e as pedras que se levantam da água parecem garras afiadas e pontudas prontas para receber sua próxima vítima, mas isso é apenas o começo.
Maple e Dawn não fazem idéia dos perigos que as esperam na floresta, em poucas horas as irmãs se vêem entre caçadores, ursos, veados, corujas, uma borboletinha um tanto quanto especial e muitos, muitos machucados, tudo sempre pela sua irmã mais nova.
“ E, de repente, eu percebo o que está errado: a caça é proibida dentro do Peninsula State Park. Eles são bandidos. O que estão fazendo é caça ilegal. Então tampo a boca com a mão para abafar o susto.”
O livro também foca na forma com que os adultos encaram as histórias fantasiosas de poderes que para as crianças e para alguns de nós (eu eu eu \õ/ uhasusah –q) são bem reais, e esse foi um fato que gostei no livro, nossa personagem se questiona porque os adultos deixam de acreditar em milagres.
“...Eu sei que minha mãe é inteligente, mas acontece alguma coisa com o cérebro das pessoas quando elas ficam velhas. Alguma coisa interfere de um jeito que elas param de acreditar em fadas, fantasmas, e também em milagres, eu acho...”
E é essa a mensagem e a pergunta geral do livro: O que somos capazes de fazer por aqueles que amamos? Além de uma mensagem incrível de amor e esperança, o livro também nos mostra que nosso amor, pode sim fazer milagres.
O livro é narrado pela visão de nossa Maple, de 9 anos de idade, e isso nos dá a perspectiva de imaginação, o que torna o livro bem leve rápido.
Outro ponto positivo é que a autora conseguiu colocar situações tensas e ao mesmo tempo engraçadas envolvendo as irmãs sempre com um toque de mistério pela bela borboleta monarca que esta sempre a vista.
Se encontrar uma coruja com o dia claro trás má sorte , eu não quero nem pensar no que significa estar na companhia de uma coruja morta e da carcaça de um cervo à noite.”
A arte do livro é simplesmente perfeita, acho que é um dos livros mais trabalhados da editora nesse quesito. Se não me engano encontrei um ou dois errinhos de digitação, mas nada que possa atrapalhar a leitura.
Bom gente é isso, eu espero que tenham gostado, acho que me enrolei um pouco com essa resenha uhasuhs, mas da para o gasto. Em suma recomendo para aqueles que precisam de uma aliviada das tensões de um livro anterior.



Muito obrigado pelo apoio do Blog Temos Muito Mais Pra Dizer.

Tchau!!!

Luiz Gouveia

1 comentários:

Vanessa Sueroz disse...

Olá,
esta todo mundo falando bem desse livro, eu nem estava sabendo que tem uns errinhos de digitação, mas infelizmente as editoras vem pecando muito nas correções ultimamente :(

Adorei o post

http://blog.vanessasueroz.com.br

Postar um comentário